Paris – Dia 1 – O Reveillon

Go to Paris

Já estou vendo que os posts sobre as viagens irão sair totalmente fora da ordem cronológica! Mas Bel vai passar lua de mel em Paris e de “presente” estou deixando o meu relato para ela!

Mas enfim, vamos ao que interessa!

Chegamos (eu e namorado) em Paris de trem, e tenho que registrar que não é a melhor vista da Cidade Luz, isso foi em 31 de dezembro de 2008, mais ou menos às 14h. No hotel chegamos por volta das 15h, sem almoçar, é claro! E 15h é o horário que os restaurantes, normalmente, encerram o horário de almoço. Esfomeados e com nosso francês ruim e o inglês do rapaz do hotel idem, descobrimos que tudo já estava fechado, quanto mais que era o último dia do ano, e só nos restava a lanchonete do lado do hotel. E lá fomos nós!

Lugarzinho bem legal, entramos, sentamos e um rapaz veio nos atender, simpático, (sim, fomos bem atendidos na França) ele nos informou que iriam fechar em 30 minutos e nós só podíamos pedir sanduíches. Eu pedi um croque-monsieur, e namorado pediu um croque-madame, acompanhandos por Coca-cola. O croque-monsieur é, digamos assim, um misto quente, e o croque-madame é um misto quente com um ovo frito por cima. (Neste momento namorado vai falar que não é um simples misto quente, tá, não é, mas é bem parecido, só que mais gostoso!) Foram o lanche mais caro de minha vida, foi mais ou menos 10 euros para cada um, e na cotação da época dava 30 reais, agora pensem ai… 30 reais em um misto e uma Coca-cola? Pois é! (Namorado reclama novamente porque não era um misto quente, era um croque-monsieur, tá!)

Paris - França

Tá, só dá para ver a Coca Cola na foto, mas não imaginei que um misto quente ia ser tão importante!

Saímos de lá preocupados com a janta, porque vejam bem, era 31 de dezembro, 5h da tarde em Paris, todo restaurante que fosse abrir naquela noite provavelmente já estava lotado e se não tivesse… bom, deveria ser uma foturna! Voltamos ao hotel e tentamos comunicação novamente com o rapaz da recepção, queríamos um mercado para deixar algo de reserva no quarto, já que o hotel não tinha restaurante. Ele nos informou que um mercado grande era longe, mas tinha um mercadinho ali por perto, só não sabia se estaria aberto. Depois de nos perdermos em algumas ruas, encontramos o mercadinho, lotado! Compramos pão, manteiga, vinho, água, refrigerante… bom, se não encontrássemos nada na rua para comer, de fome não iríamos virar o ano!

Voltamos para o hotel e fomos nos arrumar para irmos ao “famoso” reveillon da Avenida Champs-Élysées. Friozinho básico, perto dos zero graus, foi um casaco em cima do outro, meias, luvas, gorros… e lá fomos nós! De metro é claro! Antes demos uma passadinha na Torre Eiffel! Toda em azul, linda! E não só a gente resolveu passar por lá, todo mundo estava lá, todo MUNDO mesmo, ou pelo menos todo o BRASIL! Neste momento notei que escutaria muito português por aquelas bandas! Parecia que todo brasileiro resolveu passar o reveillon em Paris! FATO!

Torre Eiffel Torre Eiffel
Nestas poucas horas em Paris notei uma outra coisa, só que desta vez, muito interessante! Em praticamente cada esquina tinha uma janelinha, uma porta, ou mesmo um carrinho vendendo crepe, e o mais pedido, crepe de nutella! Eu não podia ficar de fora, né? Fiz namorado enfrentar a fila e comprar um crepe e uma Coca-Cola antes de partimos para Champs-Élysées. E no final ele se arrependeu de só ter comprado um, estava era bom, viu?

De metrô de novo, descemos na estação do Arco do Triunfo, uma das extremidades da avenida Champs-Élysées. E demos de cara com outra multidão! Como ainda era “cedo”, mais ou menos umas 10:30h, resolvemos dar uma volta na avenida. Mesmo com aquele monte de gente, dava para ver que a não era um simples avenida, era A avenida! O passeio largo foi uma das coisas que mais me chamou atenção, parecia uma rua, um calçadão literalmente!

Reveillon na Champs-Élysées - Paris

Vi muitos policiais, atentos a todos os movimentos, recolhendo garrafas de vidro da calçada e prestando atenção no que as pessoas carregavam. Em um momento vi que um olhava para mim, e lembrei que estava com uma garrafa de Coca-Cola “escondida” no casaco, retirei a garrafa e mostrei para o policial, que fez sinal de “tudo bem”, imagino eu! Tratei de beber logo tudo e me livrar daquilo! ALOKA!

Fomos de um lado a outro daquela avenida linda e apesar de ver um monte de gente, não vi o menor sinal de festa, dá para entender? Era gente andando de um lado para o outro, muito gente! E sim, claro, muitos brasileiros! Quer uma dica? Se quiser ouvir francês, não vá em Paris no período oficial de férias do Brasil!

Reveillon na Champs-Élysées - Paris
Reveillon na Champs-Élysées - Paris

Fomos até o final da avenida e voltamos! Faltavam 30 minutos para a virada do ano, e o frio comia no centro! Procuramos um lugar para esperar os fogos, pois sabíamos que depois da meia noite todo mundo ia embora! Conseguimos um lugarzinho na sacada de uma dessas lojas famosas, ficamos ali observando o ambiente, de repente, escuto uma língua familiar, tinha uma família de brasileiros de um lado, começamos a rir… depois de uns minutos chegou um casal mineiro, ou pelo menos que torcia para o atlético mineiro, mais risadas. Evitávamos falar, para não sermos identificados, como aconteceu em Lisboa uma vez, ainda não contei, né? E para nossa grande surpresa, uma moça e o filho que estavam sentados caladinhos do nosso lado também eram brasileiros. Quer saber? Me senti no reveillon do Farol da Barra, se conhecesse o de Copacabana, acho que me sentiria lá também! A única diferença era o frio!

Reveillon na Champs-Élysées - Paris

E eis que virou o ano e nada de fogos… nadica! Ficamos até sem saber se estávamos no fuso correto, mas sim, já era 2009 na França e não teve nem uma luz no céu!
Depois ficamos sabendo que os fogos foram cancelados por causa de um possível atentado, e por isso que os policiais estavam de olho no que as pessoas carregam! Hum, tá bom então!

Reveillon na Champs-Élysées - Paris Primeira foto de 2009!

Hora de ir para casa, correto?! Só que era hora de todo mundo ir para casa! Estávamos perto da estação do Arco do Triunfo e porque não pegar o metro logo ali, uma vez que o frio estava chegando a beira do insuportável? Lá fomos nós e a multidão! De repente todo mundo estava na entrada da estação e ninguém se movia, só no empurra-empurra, e o aperto só aumentava. Eu ali, morrendo de medo de me perder do namorado naquela multidão, já pensou no terror? Mas aquilo era uma torre de Babel, um monte de brasileiro, misturando com um monte de gente do mundo todo e ninguém se entendia, ninguém sabia nada.
Falei para o namorado que nas andanças tinha visto uma outra estação, e fomos atrás dela… andamos, andamos e andamos naquele frio insuportável, até que achamos um policial para nos orientar. Achamos a estação e para nossa surpresa tinham vários funcionários do metro trabalhando em pleno reveillon e orientando as pessoas, pois algumas estação estavam fechadas, incluindo a do Arco do Triunfo! E depois que chegamos na estação foi tudo lindo, nada de empurra-empurra, tudo calmo, fomos orientados para descermos em outra estação, pois a mais próxima do hotel estava fechada, foi tudo fácil, apesar de termos um pouco de dificuldade na comunicação com o francês!
Sim, claro, não comemos nada, só o crepe de nutella! Chegamos em casa e caímos no pão com manteiga e o vinho de menos de 2 euros, que estava era bom, viu?

8 thoughts on “Paris – Dia 1 – O Reveillon

  1. Tenho que comentar coisas, né? Rá!

    Lembra que no TGV tinha uma galera sentada na nossa poltronas? Mas veja se o lugar que eu tinha reservado há meses ia alguém e eu em pé? “Excusez-moi, this is my fucking seat.”

    Agora, aquilo não era um misto quente não, era um croque madam! E tenho dito. E não foi 10 € não. Acho que tudo deu uns 30! Afemaria, a cara da fome é feia.

    E essa foto do restaurante é a última pista que eu tenho sobre essa minha camisa que sumiu. 😛

    1. Oxe namorado, acho que a conta foi 10 euros para cada um… se foi 30 no total eu fico mais revoltada ainda, 45 reais numa coca-cola e num misto quente?

  2. Comentando enquanto leio (no bloco de notas):

    1. Esse copo da coca é padrão, lá? Eu ganhei 4 de Flavinha, mas se for padrão por lá vou deixando claro que vou roubar um (ns).

    2. Já estamos preparados para oão s preços da coca… e o croque monsieur/madame é caro meeeeRmo!!!

    3. Ai meu Deus, Crepe de nutella?? E eu que Não GostEI de nutella??? Faço o que? Pelo menos tem Romeu e Julieta???

    4. A aventura na Champs Elysées pra mim acho que vai ser mais light, pelo menos não vai estar tão frio… e nem vai ser Reveillon!

    5. Tô esperando os próximos posts… e adorando!!!

    Bjooo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *